domingo, 7 de junho de 2009

E mais um dia 12...

"You'd think that people would of had enough of silly love songs"
We can be Lovers - Moulin Rouge Songtrack


Dia 12/06.
Dia que os namorados ficam mais românticos.
Dia que as namoradas ficam mais carinhosas e receptivas.
Dia que as solteiras aceitam ficar junto de qualquer traste só para não estar só.
Dia que os solteiros se aproveitam da condição acima para se dar bem.

Lógico que isso é uma generalização. Pois há aqueles solteiros que resolvem dar um olhar mais frio para esse dia e tentam desmontar toda essa idéia romântica.

E lá vamos nós...

Namorar é bom. Ter um “cobertor de orelha” é fantástico. Alguém com que você pode contar, reclamar do seu dia, chutar o balde, extravasar. Alguém com quem passear de mãos dadas, ver um filme abraçadinho. A pessoa q te faz sentir como se nada no mundo pudesse te machucar ou se alguma coisa acontecer, terá um lugar firme para se apoiar.
Sim, tudo isso é lindo. Perfeito...
Mas para que tudo isso?
A finalidade é casar.
Montar uma família.
Ter filhos, um cachorro tipo a Lassie e quem sabe ate um gato.
Anos e anos de corte. Levando para jantar, ouvindo quando não quer ouvir, agüentar aqueles amigos malas, ver o futebol ou a F1 mesmo odiando só para estar por perto. Todo esse sacrifício para uma única direção: perpetuação de genes.
Vamos guardar essa informação.

Outro ponto:
Todo casal que quer todo esse pacote exige monogamia.
Agora pensaremos: qual é a importância da monogamia? Qual a sua grande relevância na evolução?
Simples, não fazer todo esse trabalho outra vez. Conquistar é uma batalha. A quantidade de energia empregada nesse feito é absurda.

Só que vamos juntar tudo agora:
Se monogamia é para evitar fazer a corte toda outra vez, mas quando aquele quadro perfeito que pintei ali em cima começa a diminuir em quantidade e/ou em qualidade, o que aqui chamaremos de rotina, levará a falência da instituição chamada casamento ou ate mesmo o namoro.

Quando paramos de cortejar, perdemos todo o trabalho de anos e anos a fio, sendo que a monogamia serve exatamente para isso, para que a energia da conquista seja gasta apenas uma vez. Tudo isso mostra que toda essa idéia de namoro esta completamente errada e que para nós, seres humanos, a monogamia não é nada além dos nossos instintos infantis de exclusividade e a vontade de sermos os mais importantes sempre.
Resolvemos dividir a nossa vida com alguém e nos mostramos mais egoístas querendo a exclusividade, queremos a pessoa só para nós... mas..será que desejamos sermos únicos para aquela pessoa?
E também... convenhamos, não há nada como a emoção da caça. O conquistar e ser conquistado. O gosto do primeiro beijo com aquela pessoa, o primeiro amasso nervoso.... Coisas que com o tempo ganham a intimidade, mas perdem a emoção de ser a primeira vez, perdem o gosto da novidade.

Então a conclusão que tiramos disso é simples: Se comprometer vai contra ao nosso instinto, por que gostamos de corte, gostamos de caçar e ser caçados. É assim que vivemos e assim que temos que ser. O dia dos namorados é feito para os que preferem nadar contra a maré.
Seres que logo perceberão que ninguém consegue fugir de sua natureza.