quinta-feira, 14 de maio de 2009

Um suspiro roubado

Depois de 1 ano de promessa assiti "Um beijo Roubado" esse final de semana.
Não sei se foi o dia, o q sentia ou se o filme é lindo mesmo. Talvez uma união de tudo.

Não vou contar a historia do filme, pq não sou muito boa nisso e é bem capaz q estrague alguma coisa. Se quiser isso, leia aqui, aqui, aqui e, de maneira bem simples, aqui
Oq farei é tentar explicar as minhas impressões e sensações.

A historia é diferente dos filmes americanos normais, ñ há um vilão, o mocinho, nada da clássica saga do herói (devemos isso ao diretor). Há apenas o amor, a ausência dele e o amadurecimento necessário p/ curar as marcas deixadas pela dor. É como se ele gritasse na nossa cara que não adianta nada se esconder e esperar problemas irem embora, oq tem q ser feito é mudar. O tempo ñ vai parar e esperar q tudo se resolva, se vc quiser q isso aconteça talvez passe a vida se escondendo do mundo com um monte de chaves dentro de um pote.


Tem tb uma diferença de onde fica a câmera. Parece q estamos espiando a vida das personagens. Um clima voyeur que, pelo q andei lendo, parece ser uma marca registrada do diretor (ñ vi nada dele, mas estou querendo assistir todos agora).
O ritmo do filme é calmo, aquela calma q acompanha a fossa e torna os dias tão longos.

É daqueles filmes de dar um aperto no coração. Ñ q seja triste... mas da um aperto q deixa marcado por semanas na memória.

*suspira*

Tb quero sumir e só mandar cartões postais sem endereço.